Viagem no tempo provou ser impossível


Não exterminadores. Não DeLoreans. Nem mesmo Austin Powers.

Esta equipe, liderada pelo Prof. Shengwang Du, testou a capacidade de velocidade de um único fóton e determinou que, mesmo no vácuo, a velocidade do fóton não poderia ultrapassar a velocidade da luz. Como Du declarou em um comunicado à imprensa da universidade, “... nossos resultados encerram o debate sobre a verdadeira velocidade da informação transportada por um único fóton”.

Dez anos atrás, os sonhos de viagem no tempo foram alimentados por um estudo controlado no qual os pulsos ópticos pareciam viajar mais rápido que a luz. Esse buzz morreu quando os cientistas descobriram que era apenas um efeito visual. Mesmo assim, a velocidade de um único fóton era desconhecida e as especulações sobre a viagem no tempo ainda eram debatidas acaloradamente por físicos e cientistas. O professor Shengwang Du e sua equipe da HKUST conseguiram isolar fótons individuais para testar sua velocidade e provar que, sim, Einstein estava certo o tempo todo.

Esta notícia deve vir como um conforto para a China, que proibiu as viagens no tempo no cinema e na televisão em março passado, sob o argumento de que a história estava sendo tratada levianamente e não deve ser retratada como mutável.

O próximo passo para o Prof. Du e sua equipe? Um estudo controlado para saber se Sexta louca poderia realmente acontecer. Bem, essa é a minha sugestão, de qualquer maneira.


Assista o vídeo: Preto no Branco - Os Sonhos de Deus ft. Juninho Black, Lukão Carvalho, Eli Soares


Artigo Anterior

A Taste Of The Anarchist’s Cookbook

Próximo Artigo

Humanidade conectada é Deus