Resenha de livro: Revolução de pedalada


Mapes’ book is best appreciated in contrast to its cinematic counterpart, Veer, a documentary claiming to cover all elements of bike culture. Unlike Veer, which never looks beyond Portland, Oregon, Mapes’ new book actually accomplishes its tagline.

Mapes, a Portland-based journalist, looks far beyond the subcultures of his city to other urban areas such as Davis, Chicago, Minneapolis, and New York. He even ventures overseas to European bicycle bastions Copenhagen and Amsterdam, where cyclists are ubiquitous. Mapes is a trained reporter but doesn’t let that stop him from participating in his own story; he actually rides a bike in each of the cities he visits. This strengthens his assertions and makes his research more accessible.

O livro primeiro percorre uma história do movimento do ciclismo nas cidades americanas, depois inclui capítulos sobre Amsterdã, Davis, Portland, Nova York, com um punhado de outras cidades incluídas. O livro cobre bicicletas e segurança, os benefícios do ciclismo para a saúde, e crianças em bicicletas.

Mapes aborda tanto os aspectos recreativos do ciclismo (o World Naked Bike Ride e o Zoobombing em Portland, por exemplo) até questões mais técnicas de planejamento urbano.

Apoiando sua extensa pesquisa estão as entrevistas com uma impressionante variedade de ciclistas e defensores do ciclismo. Mapes consegue visitar e documentar uma coleção assustadora de cidades e questões sem perder de vista seu inquilino central: que o ciclismo é uma parte vital do futuro de comunidades americanas saudáveis ​​e habitáveis.

As bicicletas apresentam uma solução atraente para uma série de problemas urbanos, argumenta Mapes. “A bicicleta oferece um meio de transporte não poluente, não congestionado e fisicamente ativo em um país e em um mundo que parece cada vez mais precisar dessas opções”, explica.

A competição global acirrada pelos suprimentos de petróleo do mundo encerrou a era do combustível barato que tornou possível nossa dependência do automóvel. Nosso estilo de vida cada vez mais sedentário levanta o espectro de uma epidemia de obesidade que pode encurtar a expectativa de vida da próxima geração. E estamos ultrapassando nossa capacidade de manter e expandir nossa rede de estradas e pontes ...Revolução da pedalada

classe>

A revolução da pedalada prova que o movimento em direção às ruas favoráveis ​​às bicicletas vai além do simples ciclismo; ele se encaixa na solução maior para um planejamento urbano mais inteligente e cidades mais habitáveis. “Imagine menos estacionamentos e mais praças públicas”, escreve Mapes.

“Pense em bairros urbanos que têm o ambiente tranquilo de uma velha cidade europeia, e não ruas largas e shoppings. Ou talvez apenas o tipo de rua que seja segura o suficiente para as crianças brincarem novamente. ”

Minha única crítica é que os muitos termos desconhecidos do livro seriam mais fáceis de lembrar se Mapes incluísse um glossário. Em última análise, porém, Pedaling Revolution é a melhor fonte para entender como e por que os ciclistas estão realizando lentamente o impensável: lutar contra as cidades americanas dos motoristas de automóveis e mudar a própria paisagem de nossas cidades.

Conexão da Comunidade

Para mais informações sobre a cultura do ciclismo nos EUA, confira estes artigos:


Assista o vídeo: BIKE RESENHA ISSO MEMO NA PEDALADA DA AMIZADE DEZ 2019


Artigo Anterior

Uma noite no pub em Dublin pelos números

Próximo Artigo

Notas sobre o Swell de San Raphael